terça-feira, 10 de março de 2015

Lava Jato pode virar um novo circão midiático?




Crédito da foto: podereconomico.ig.com.br


Com todo respeito, data vênia, às senhoras e aos senhores juízas e juízes do STF, o julgamento do Escândalo do Lava Jato, leia-se Petrobras, que não tem dia para começar e nem hora para terminar, periga se transformar no mais novo circo midiático brasileiro?

É uma pergunta nem tão esotérica assim.

Em 2012, o STF julgou, hipoteticamente em quatro meses, mas a coisa passou muito disso, o escandalosíssimo esquema conhecido como Mensalão do PT, digamos assim, mas respeitosamente, como se aquilo fora uma novela global, daquelas infindáveis, mas de final previsível

Resumindo a história: envolveu 55 milhões de reais, partidos políticos, propinagem disfarçada de custeio de campanha, bancos, agência de propaganda, viagens de avião, secretárias, malas de dinheiro etc. etc. e tal.

De concreto sobrou para dois josés: o Dirceu e o Genoíno, este, hoje, com a pena anulada; arranhou o prestígio do ex-presidente Lula da Silva e jogou o discurso de moralidade do PT na lama.

Alguns subprodutos do escândalo são interessantíssimos:

- o povaréu não tava muito aí para esse quéquéqué moralista todo dos inimigos e adversários do PT e de Lula. “O Lula tá fazendo (e estava fazendo, e muito) então vamos em frente”. Lula se reelegeu, e elegeu duas vezes Dilma Rousseff.

- quem primeiro denunciou o esquema foi a revista Veja, em janeiro de 2005. A entrevista de Roberto Jefferson, em junho do mesmo ano, para a Folha de São Paulo, apenas serviu para corroborar com o que tinha antecipado a revista paulista e jogar gasolina numa fogueirinha que estava quase se extinguindo.

 - isso mudou o humor do brasileiro, mas muito especialmente da revista e dos petistas. A Veja passou ao ataque de maneira mais violenta, ao ponto de quase todo mundo reconhecer, aqui e no exterior, que ela deixou de fazer jornalismo em troca de panfletagem. Os petistas a demonizaram, estenderam a demonização para outros veículos da chamada “grande imprensa” e criaram a sigla PIG (Partido da Imprensa Golpista), um nome bastante sugestivo e autoexplicativo.

Esse é bem um daqueles casos em que ambas as partes estão completamente equivocadas, mas creem piamente que estão certas.

Tudo é uma questão de fé, portanto.

Lava Jato

Este escândalo é de outra magnitude, a começar por envolver (pelo que se sabe até agora) a bagatela de R$ 10 bilhões.

Faça as contas aí: divida 10 bilhões por 55 milhões pra você sentir o tamanho do enrosco.

Mas tem mais: tem político que está no poder (e que poder!), político sem poder, político que já esteve no poder, político que nunca esteve nem perto do poder, bancos nacionais e internacionais, doleiros, contrabandistas, mafiosos, dedos-duros e o diabo a quatro.

Ufa!

Passa na TV?

O julgamento do Mensalão do PT passou na TV. Especialmente na Globonews, com a devida complacência da TV Justiça, quer dizer, do próprio STF.

Isso mudou, e muito, a percepção dos senhores e das senhoras públicos quanto aos acusados, quanto ao Partido dos Trabalhadores e quanto a Lula da Silva.

E para pior, por óbvio.

A pergunta que se faz necessariamente é se o julgamento do Lava Jato vai contar com a mesma complacência das senhoras e dos senhores juízas e juízes do STF.

Se assim for, há que se assuntar, por prevenção: isso é justiça ou um novo circão midiático?

Nenhum comentário:

Postar um comentário