segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O ódio pode derrotar Dilma e o PT no segundo turno

A reação à vitória de Dilma Rousseff sobre José Serra, há quatro anos, e que teve como destaque negativo a estudante de direito Mayara Petruso, foi fichinha frente à série de absurdos que se viu na internet após a eleição de ontem.

E é só o primeiro turno. Imagine se Dilma bater Aécio no segundo, o que, aliás, deve acontecer.

Há uma infinidade de bostagens – são bostagens mesmo, não postagens – atacando nordestinos, pobres e negros.

Para essa gente, nordestinos, pobres e negros são as três pragas que o Brasil tem. Portanto é preciso eliminá-las.

Quero saber como se vai continuar o País sem eles.

O Ministério Público está na obrigação de oferecer denúncia contra esses estúpidos bostadores e a justiça de metê-los na cadeia.

Os dois anos e tanto que Mayara pegou por conta das ofensas de há quatro anos parecem que não intimidaram essa patuleia bostadora.

Bem na fita

Apesar do susto, Dilma vai bem na fita. Teve mais do que 8 pontos percentuais que Aécio e deve levar essa também.

Sempre quem chega a esse patamar leva.

Mas como tudo tem uma primeira vez é preciso cuidado.

O PSDB é um partido extremamente profissional. Aécio Neves é um cara à la José Serra, para quem o caráter não é uma coisa a se levar muito a sério.

Mas a grande questão dilmista e petista é o ódio que se alastrou pela sociedade toda, quer dizer, por todas as camadas sociais, contra o petismo e o seu governo.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.

Boa parte dos brasileiros, inclusive os pobres, repete o mantra da corrupção petista.

Gente que se beneficia dos programas sociais do governo aparenta não se dar conta disso, e engrossa o caldo das críticas e do voto do ódio.

Deveria parar para pensar um pouco, especialmente em duas coisas:

- o discurso da corrupção serve para quem? Para o pobre, o preto, a puta é que não. Para essa gente interessam mesmo são os programas sociais que vão ajudá-los a sair do atoleiro histórico da pobreza.

- com o PSDB voltando ao poder qual é a garantia que os programas sociais vão continuar?

Talvez permaneçam os programas que facilitem a vida da classe média: crédito, bolsas de estudos etc. e tal.

Mas os pobres, os desvalidos da terra, precisam disso, ou precisam, já, de comida, de trabalho e de ascensão social?

Pedir para as pessoas pensarem, e consequentemente refletirem, seria mais do que crueldade de minha parte.

As pessoas não pensam.

Seguem como manada.

E esse seguir pode muito bem terminar num matadouro.

Em tempo: Os votos de Minas Gerais e de São Paulo devem decidir a eleição.

Aécio sabe que não se cria no Nordeste.

Dilma sabe que não se cria na classe média.

É de se ver quem vai ter mais habilidade para ganhar mineiros e paulistas.

Os paulistas já fizeram uma suntuosa cagada elegendo Alckmin e Serra.


Vai saber do que esses meus conterrâneos são capazes!