quinta-feira, 29 de maio de 2014

Por que os malvados dos petistas querem censurar a imprensa?



Antes é preciso falar um pouco aqui sobre liberdade, pois, afinal, a censura só pode se dar como uma reação a ela, a liberdade.

Imagina a cena!

Você e seus amigos, todos cansados de não fazer nada, se reúnem, constroem um barquinho, navegam por mares nunca dantes navegados, acham uma terrinha cheia de gente nua e com muitas pedrinhas e pauzinhos que podem deixar você e seus amigos ricos.

Vocês escravizam os pelados, pegam as pedrinhas e os pauzinhos (que, aliás, são muito mesmo) botam no barquinho e vão vendê-los a outros povos que não tiveram a mesma ideia brilhante que você e seus amigos tiveram.

Resultado? Você e seus amigos enriquecem e continuam a escravizar os pelados e a vender mais e mais pedrinhas e pauzinhos.

Mas eis que, passado um bom tempo, os pelados se revoltam, não querem trabalhar tanto assim e mais, para o espanto de você e de seus amigos, também querem vender as pedrinhas e os pauzinhos.

Consequência prática e objetiva? Eles, os pelados, estão tentando tirar a sua liberdade e a de seus amigos.

O mundo é uma bola

Agora saíamos desse mundo real e caiamos na ficção, pois é através da arte que conseguimos entender o mundo.

Os meios de comunicação no Brasil são dominados por 5 famílias (os Marinho, os Civita, os Mesquita, os Sirotsky e os Frias).

Apoiadora de primeira hora do golpe militar de 1º de abril de 1964, essa gente diferenciada monopolizou a informação e a comunicação no Brasil de lá para cá.

Ou você lê notícias que não saem em Veja, Estadão, O Globo, Folha? OU você vê TV que não seja a Globo? Ou você acessa sites de notícias que não sejam o UOL, o G1, o Estadão?

Apoiou e encheu as burras, diga-se.

Ora, o que seria essa tal da regulamentação dos meios de comunicação que tanto se discute neste momento?

Nada mais, nada menos que uma tentativa dos petistas (incluindo-se a partir de ontem a presidente Dilma Rousseff) de acabar com a liberdade das cinco famílias de continuar prestando os bons serviços às suas próprias burras, e – olhe só que legal! – ajudando você a ver o mundo com os seus próprios olhos – seus, os deles, claro, que são mais inteligentes e espertos que você.

Quem precisa de informação descentralizada, produzida por gente diversa e em locais diversos?

Quem precisa que os pelados comecem a falar pelos cotovelos em jornais, revistas, emissora e rádio e TV, em blogs e sites?

Num tá bom o que a Globo, a Folha, O Estadão, a Veja... já fazem, aliás, muito profissionalmente? Com muito amor e carinho?

Vamos deixar como está, gente.

Vamos deixar que você e seus amigos continuem pegando as pedrinhas e os pauzinhos e vendendo por aí e enchendo as próprias burras.

Ora... tenha paciência, petistas!