sábado, 6 de dezembro de 2014

TENDÊNCIAS DA INDÚSTRIA: Pesquisa britânica indica que universo dos jovens é digital




Crédito da ilustração: www.proxxima.com.br
Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações de Mark Sweney [“Teenagers and tweens watching TV half as much as adults, Ofcom finds”, The Guardian, 25/11/14] e de Guy Daniels [“The kids are alright (so long as they have their smartphones and tablets)”, TelecomTV, 26/11/14]

De acordo com uma pesquisa do Ofcom, órgão que regula o setor de radiodifusão no Reino Unido, as novas gerações estão de fato abandonando os veículos tradicionais para se dedicar às novas tecnologias, mudando a forma de consumir notícias, filmes e músicas. A pesquisa The Digital Day foi apurada no início de 2014 com crianças de duas faixas etárias: seis e 11 anos; e 11 e 15 anos. Também foi feito um estudo comparativo de comportamento de consumo dos adultos.

Televisão

Segundo os dados apresentados pelo Ofcom, pré-adolescentes e adolescentes assistem à metade da quantidade de TV que um adulto por dia, e dão preferência a serviços de vídeo online como YouTube, Vimeo e Vine. Jovens com idades entre 11 e 15 anos dedicam cerca de 1h32 à TV por dia, e os adultos, 2h58.

Em contrapartida, estes mesmos jovens dedicam 33 minutos diários conferindo vídeos pela internet, enquanto adultos despendem apenas cinco minutos na mesma atividade. E 22% destes jovens (aqueles entre 11 e 15 anos) alegaram que, em algumas semanas, nem mesmo chegam a ligar a TV.

Geração WhatsApp

A pesquisa da Ofcom destacou a mesma diferença no uso de telefones celulares: as crianças e jovens estão mais propensos a utilizar redes sociais e serviços de mensagens instantâneas (como Facebook, WhatsApp e Viber) a realizar um telefonema. Estima-se que 56% do tempo gasto ao telefone celular seja dedicado às atividades citadas.

Apenas 25% dos jovens entre 11 e 15 anos disseram falar ao telefone pelo menos uma vez por semana (em comparação a 83% dos adultos). Além disso, adolescentes gastam o dobro do tempo em redes sociais se comparados aos adultos (52 minutos e 25 minutos, respectivamente). Estes jovens também estão menos propensos a utilizar e-mail, optando por serviços de mensagens instantâneas.

Rádio e música online

A ascensão dos serviços de música digital, como Spotify, Deezer e iTunes, também mudou o jeito de consumir música. Mais de 50% do tempo semanal dos jovens entre 11 e 15 anos é gasto com música digital, seja transmitida via internet ou armazenada em dispositivos digitais.
Ao passo que 40% dos jovens entre 11 e 15 anos declararam sintonizar em estações de rádio pelo menos uma vez por semana, eles gastam em média apenas 15 minutos por dia absorvendo o conteúdo de fato. Já entre os adultos o resultado foi bem diferente, confirmando o “choque de gerações”: 75% deles recorrem ao rádio, dedicando, em média, 1h19 de seu tempo ao veículo diariamente.

Hábitos das crianças menores

Embora tenha feito parte da pesquisa, a faixa etária entre seis e 11 anos ofereceu dados menos precisos, visto que poucas crianças deste nicho possuem dispositivos móveis ou consomem conteúdo sem supervisão dos pais. Apenas 27% dos participantes deste grupo utilizam smartphone ao menos uma vez por semana – em comparação a 65% dos jovens entre 11 e 15 anos e 70% dos adultos. E, quando o fazem, dedicam-se a jogos (22% do tempo total de uso do aparelho), seguido por visualização de vídeos de curta duração no YouTube (16%) – deve-se levar em conta que crianças menores não possuem uma rede de contatos ainda, por isso as atividades são menos comunicativas.

O aparelho mais usado pela faixa etária entre seis e 11 anos é o tablet – 60% das crianças fazem uso deles todas as semanas (contra 38% dos adultos).

Vídeo-chamadas

O recurso de comunicação menos utilizado ainda é a chamada em vídeo (Skype, Facetime etc.). Constatou-se que 11% dos adultos fazem uso do recurso pelo menos uma vez por semana, em comparação a 12% dos jovens entre 11 e 15 anos de idade e 7% das crianças entre seis e 11 anos.

Leia também


Nenhum comentário:

Postar um comentário