domingo, 16 de novembro de 2014

Devaneios e exageros de esquerdistas e direitistas





Os exageros sempre são exagerados (a redundância é proposital, camaradas). Devanear então é uma estupidez.

Tudo em excesso é pernicioso, inclusive a água.

O blogue O Cafezinho viu uma jogada de mestra nessa história da partidarização de parte da Polícia Federal no caso das investigações da Petrobras. Um caso de mestra da mestra Dilma Rousseff, que teria dado corda aos “investigadores” para posteriormente pegar todos com a boca na botija e limpar a instituição e acabar com a corrupção no País.

Dilma Rousseff não sofre desse mal chamado estupidez.

Ela jamais faria uma estupidez dessas. Seria um risco desnecessário, como em parte O Cafezinho mesmo reconheceu, que Rousseff não correria.

O que houve, e o que há mesmo, é que a corrupção na Petrobras envolve gente demais, a direita e a esquerda, inclusive gente próxima à presidente.

E ela promete já deixar pedra sobre pedra, e como já disse que fará, e fará.

Não custa lembrar o seu distanciamento do julgamento do Mensalão e seus vários encontros e afagos com e a Joaquim Barbosa. Dilma sempre sabe o que está fazendo, apesar do histerismo que muita gente de esquerda expôs durante o julgamento.

Estamos numa democracia. Estamos numa república (muita gente não entende o que é isso) e cada um cuida do seu ranchinho a beira chão e não se mete no quintal do outro.

É isso que Dilma Rousseff fez e continuará fazendo.

Seus dois governos – o que está acabando e aquele que está por vir – serão marcos na história da república brasileira, com influências inclusive no exterior.

Tresloucada

Outra tresloucada, agora à direita, é a tal da jornalista Rachel Sheherazade, que viu milhões de pessoas protestando ontem pelas ruas contra o governo de Dilma Rousseff.

Na ponta do lápis, se somarmos cidade por cidade não chegamos a 20 mil pessoas.

A direita é péssima para sair às ruas. Ela não gosta e nem coragem tem.

Fora a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, em 1964, contra o governo de Jango, a direita não consegue arrebanhar mais que meia dúzia de gatos pingados para apoiar ou protestar contra o que quer que seja.

Aquele foi um caso excepcional. As ideias golpistas ainda eram vivas na memória brasileira, as Forças Armadas, sempre golpistas, tinham ainda um bocado de força, e o Brasil era um País absolutamente virgem (economicamente), ofertado aos exploradores sempre ávidos por lucro.

E nossos bravos empresários não viram mal algum em organizar a marcha, como de fato organizaram.

Estamos em outros tempos. As Forças Armadas brasileiras hoje não dão conta nem do exército paraguaio e parte do empresariado está bastante contentinho com o que anda ocorrendo no País.

Os exagerados – à esquerda e à direita – não contribuem com nada.

Apenas ocupam espaço, nosso tempo e enchem as nossas paciências.

Nada mais que isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário