terça-feira, 18 de novembro de 2014

Carta de Vila Madalena



Os diversos movimentos sociais e entidades reunidas em São Paulo na busca de uma análise sobre a conjuntura pós-eleitoral em linhas gerais compreenderam que as pautas de direitos humanos saíram extremamente enfraquecidas em razão da nova composição do Congresso Nacional e da Assembleia Legislativa, fruto de um debate pobre e despolitizado ocorrido durante as eleições de 2014.

Este fato nos remete a uma tarefa premente de manter processos de articulações entre os movimentos sociais e buscar ampliar ainda mais os diálogos e estratégias de unidade para que possamos além de compreender a conjuntura, construímos agendas comuns para pautar nossas bandeiras ao Governo Federal eleito em situação complexa dentro do cenário internacional e nacional.

Entendemos ser fundamental que os movimentos, grupos e coletivos que atuam em prol dos direitos humanos possam aproveitar este momento para amplas reflexões políticas, para que possamos somar estratégias comuns de ação e desde já entendemos que a reforma política e a defesa do sistema nacional de participação social são bandeiras que imediatamente devemos nos engajar e se articular com os processos construídos.

Compreendemos que devemos construir processo de comunicação alternativos as mídias oficiais que representam a pauta das elites e mantermos acesa nossa chama de luta pelos direitos humanos estar nas ruas a partir de ações coordenadas.

Por fim declaramos que os cidadãos Paulistas e Paulistanos militantes dos Movimentos Sociais em defesa dos Direitos Humanos repudiam as manifestações de ódio contra a população pobre, negra e nordestina expressos nas redes sociais por correligionários do candidato derrotado à presidência da República Aécio Neves. 

Compreendemos que os milhões de nordestinos que vivem em todo território nacional, sejam respeitados na dignidade e cidadania   o povo brasileiro é detentor do direito democrático da escolha política para optar por projetos que atendam seus interesses. 

Aproveitamos para repudiar qualquer manifestação pública de apologia à intervenção militar contra a democracia constitucional, compreendemos que muitos deram suas vidas para que pudéssemos hoje exercer nossa cidadania, levantar essa bandeira é não reconhecer a violência tortura e morte daqueles que lutaram por uma sociedade mais justa, os cidadãos brasileiros não permitem esse desrespeito aos torturados pelo regime militar e a mais esse retrocesso.”

Assinam

Coletivo de Saúde Mental e Direitos Humanos do ABC e Região
Frente estadual Antimanicomial
Instituto popular de Educação em Direitos Humanos – IPEDH
CMDCA Osasco
Lideres Comunitários e de Movimentos Sociais

Informe: Esse coletivo de reuniu no Sindicato dos Psicólogos que fica na Vila Madalena, por isso no nome de: Carta de Vila Madalena, mas que esse coletivo reuniu todas as regiões de São Paulo, desde o interior com Sorocaba, região do ABC, entre outras regiões da cidade como Zona Norte, Central, Sul e Leste e Guarulhos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário