sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ofender a presidente Dilma não tem mistério: é burrice simples mesmo




Vaiar a Dilma é válido, agredi-la é escatologia pura. A esquerda está chorosa e se socorrendo de um dos maiores reacionários que esta Pindorama já produziu, Nelson Rodrigues, e aquela sua cretinice do “complexo de cachorro vira-lata”.

Na hora do desespero vale tudo. Até unir as pontas do novelo ideológico.

Mas usar Nelson Rodrigues para atacar “as elites” é estúpido.

Não se trata de complexo de vira-lata. É mais complexo e mais sério que a vã filosofia esquerdista possa imaginar.

Se conheço bem Dilma Rousseff, e conheço, ela está furiosa. Ou melhor, furiosíssima.

Rousseff disse entre seus botões ou debaixo de seu cabelo: “que grandessíssimos filhos da puta. Foi pra isso que me torturaram, que me violentaram, que me julgaram, que me condenaram e que me deram dois anos de cana-dura? Que porra!”

Todo brasileiro e todos estrangeiros que moram no Brasil deveriam beijar os dois pés de Dilma todos os dias, por vários motivos.

O primeiro e o maior deles porque Dilma é mulher.

Não é fácil ser mulher num País de miseráveis machistas como este.

O segundo porque é a presidente, a primeira presidenta (como gosta de dizer) deste País pleno de miseráveis machistas.

O terceiro porque é uma boa presidente, apesar de alguns pecadilhos que comete, como cometeu Lula da Silva e, por que não?, Fernando Henrique Cardoso.

Na boa. Quem deveria ter ido tomar no cu era o Lula da Silva, que é meio canastrão e meio cafajeste, e foi quem armou todo esse circo da Copa sozinho, deixando que a bomba explodisse no colo de Dilma.

Mas, esperto, ele nem estava lá. Estava em casa ouvindo o vai tomar no cu pela TV.

Assim não dói.

Dilma, quase em final de primeiro mandato, falhou nas duas pontas sociais.

Desprezou os pobres, com sua megalomania desenvolvimentista. Como lembrou bem recentemente uma líder indígena, Dilma quer que os pobres tomem banho de chuveiro quente, andem de carro próprio e possam comprar porcarias e desnecessidades no supermercado da esquina.

Insuflou a gastança do outro lado da sociedade, que é pouco lida, pouco culta, nada inteligente, que só gosta de se exibir e de gastar dinheiro.

Quem levou essa branquelada de classe média para as cadeiras do Itaquerão foi o PT ao aceitar as “regras herméticas” (JBJ) da Fifa.

Quem sustenta essa cambada de inúteis despolitizados que admira Miami e roupa de grife é o PT , que se pendura no agronegócio, na destruição da natureza, nos evangélicos, no desrespeito e na violência contra as camadas mais vulneráveis da população.

É o PT quem enche as burras da rede Globo, do Estadão, da Folha, da Veja...

Tomar o cu não é nada higiênico, dói e é uma insensatez.

Mas quem sabe seja necessário para que o Partido dos Trabalhadores veja onde vai amarrar direito o seu burrinho nos próximos anos (sem estuprá-lo, por favor!).

Nenhum comentário:

Postar um comentário