quinta-feira, 19 de junho de 2014

A merda da elite escorre para mocambos e favelas




Crédito da ilustração: br.freepik.com

Em nossa lógica cartesiana tudo tem um início. E se tem um início terá um fim. Isso vale inclusive para a Criação, embora detestemos e nos desesperemos com a ideia.

Na eleição presidencial de 1989, que levou Fernando Collor de Mello ao Palácio do Planalto, Mário Amatto, então presidente da ex-poderosa Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), disse que se Lula da Silva vencesse 800 mil empresários deixariam o Brasil imediatamente.

Anos mais tarde, com o PT no poder, ele, pelo menos, fez isso. Foi morar em Miami, o paraíso coxo-cucarachas. Os outros 799.999 preferiram ficar no Brasil, explorando nossos recursos naturais e nossos trabalhadores, e desviando recursos para os paraísos fiscais.

Pode estar aí o germe da desconstrução do PT.

Mas na linha do tempo há um outro ponto importante: a criação do Movimento Cansei, em 2007. É ali que começa a associação do Partido dos Trabalhadores com a incompetência administrativa, com o aparelhamento do Estado (seja lá o que isso queira dizer) e com a corrupção. Segundo essa visão de mundo, antes a corrupção não existia. Ela foi criada por petistas no poder.

Então tá então!

O papel da imprensa

A elite brasileira pode ser acusada de muita coisa: escravocrata, perdulária, exploradora, desumana, cruel, vendida etc. e tal.

Mas pelo menos uma parte dela não tem a virtude da burrice. Muito pelo contrário.

Percebendo que as oposições brasileiras (especialmente PSDB e DEM) estavam sendo “varridas do mapa”, sem capacidade de reação, foi a vez de entrar em cena a Associação Nacional de Jornais (ANJ); e a sua presidente (presidenta?), Judith Brito (2010-2012), não teve pejo em declarar que no Brasil a única oposição que existe é a imprensa.

Dito e feito. De lá para cá foi uma saraivada diária de notícias negativas.

“Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.”

O Brasil é uma merda que o PT conseguiu fazer feder mais ainda. O melhor é ir embora (de preferência para Miami).

Mas quem disse que ela, a elite, queria fazer isso? Vamos ficar por aqui, mas é necessário destronar o PT do poder central.

Pelo menos em parte está dando certo.

O que era um discurso apenas da elite, desceu rapidamente para as estratificações médias da população brasileira, e começa a chegar, pasmem!, aos 3 Ps= os Pretos, os Pobres, as Putas; essa gente largamente beneficiada pelos programas sociais petistas.

Vá entender! Seriam os pobres uma espécie de Marcelo, a marcar gol contra a própria meta? A se conferir na eleição de outubro, mas não se espantem se o resultado for esse mesmo.

Não se ganha eleição presidencial no Brasil sem os votos (majoritários) dos pobres.

Nó górdio

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) pegou, finalmente, a coisa: não foi apenas a elite quem mandou a Dilma Rousseff tomar no cu.

"Me permitam, pessoal, no Itaquerão não tinha só elite branca não. Não fui pro jogo, mas estive ao lado [do Itaquerão], numa escola (...), fui e voltei de metrô. Não tinha só elite no metrô. Tinha muito moleque gritando palavrão dentro do metrô que não tinha nada a ver com elite branca".

Eis aí a questão mais relevante dessa história toda: a merda das elites está escorrendo, consistente, para os andares de baixo da sociedade brasileira.

Culpa das elites?

Necas de pitibiriba! Ela está no papel dela.

A culpa é do PT que é frouxo, tíbio, que morre de medo da elite, especialmente da imprensa.

Quem não se lembra do beija-mão de Lula da Silva em Roberto Marinho? Quem não se lembra de Dilma Rousseff no programa da Ana Maria Braga?

Recentemente, coisa de uma ou duas semanas, Lula da Silva, percebendo que a água está batendo na bunda do Partido dos Trabalhadores, e que pode chegar até a sua boca em outubro, durante a eleição presidencial, resolveu sair na porrada com a imprensa (enquanto Dilma Rousseff lança mais um saco de bondades em direção à classe empresarial brasileira).

Vai resolver? Vai dar tempo? Tenho cá minhas dúvidas.

Como se diz no mundo do futebol, o PT deixou de fazer a lição de casa (12 anos é tempo pra caralho, não é não PT?), de educar o população, de explicitar quem é explorado e quem é explorador.

Mas aí o perigo seria perder os ricos caraminguás dos apoiadores ocasionais.

Então tá então! Tudo pelo dindin!

Mas se o barco petista primeiro adernar e depois submergir não me venha colocar tudo na conta da tal da elite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário