domingo, 11 de maio de 2014

Atacado por todo lado, o governo sucumbe vergonhosamente



O histriônico Ney Matogrosso deu uma entrevista nada surpreendente à TV portuguesa detonando o Brasil, e por extensão o governo petista da presidente Dilma.

Apenas o entrevistador português se surpreendeu com a performance do secos&molhados (veja aqui https://www.youtube.com/watch?v=DqJ0kF1_oL0).

Disse o trivial que está na mídia: péssima educação, péssima saúde etc. e etc. e tal.

Quem apenas se pauta pela imprensa tem essa visão de que em Pindorama, abaixo da Linha do Equador, onde não há pecado (não havia?), tudo não passa de um mero caos.

Do trivial tem-se o mais trivial ainda: o Brasil todo está revoltado com os desmandos dos poderosos (leia-se políticos, leia-se administração petista); a gastança com a Copa do Mundo é um descalabro; o País é aquele onde se cobra mais imposto no mundo e etc. e etc. e tal.

Há que se entender o que diz o performático, restrito a um grupinho de amigos do Rio e a dois ou três veículos de (des) informação. Há quanto tempo Matogrosso não vai a Bela Vista (MS), onde nasceu, de buzão, para sentir o cheiro do povo?

O mundinho neyfício se resume a uma tríade: bolsa família (esmola?), corrupção e gastança com a Copa do Mundo.

Ciência sem Fronteiras, Mais Médicos, quintuplicação dos investimentos em saúde e educação, políticas inclusivas, crédito agrícola para pequenos proprietários, bolsas de estudos... ah... “o que é isso, companheiro”?

Nóis é contra

Segundo pesquisa do DataFolha saída do forno 61% dos brasileiros são contra o voto obrigatório e 16% votarão em branco ou anularão o voto em outubro, quiçá novembro.

Esse percentual de defecção deve bater perto dos 30% em outubro, incluindo-se nele quem não for votar.

A velha cantilena da desconstrução do Estado e da política está funcionando. Pra que políticos? Pra que Estado? Deixa que a meritocracia “toma de conta”, ou você acha que numa eventual desestruturação completa do Estado e dos partidos políticos são os índios, os pretos e os pardos quem irão cuidar e usufruir deste grande latifúndio?

Huuuuummmmm.

Covardemente o governo (e os partidos políticos) não reage. Qualquer zé-das-couves fala qualquer covice em qualquer lugar e ninguém reage, nem mesmo pra mandar o cara tomar no cu.

Sério mesmo, embora eu vá votar em Dilma Rousseff, ou seja lá em quem for o candidato petista, torço com todas as minhas forças, e desbragadamente, para que gente como Aécio Neves vença a eleição deste ano.

Quero ver cara por cara das pessoas durante quatro anos de arrocho, regressões, arbitrariedades, desestruturação dos programas sociais e avanço do capital sobre o pouco que se construiu (no social) até agora nesta Pindorama.

Quero ver caminhões pau-de-araras repletos de gente vindo para as cidades ampliar ainda mais as nossas já portentosas favelas.

Vai ser divertido pra cacete.

E eu, que não sou sequer de sorrisos, vou dar boas gargalhadas.

“Tome, bicudo!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário