domingo, 6 de abril de 2014

Dilma cai e a saída é colocar fogo na cama



Pesquisa é pesquisa. O pesquisador pergunta o que quiser e o entrevistado responde (ou não) o que lhe vem à cabeça.

Ninguém é ingênuo para não perceber que existam segundas, terceiras, quartas e quintas intenções nos questionários de pesquisa.

E daí? Pesquisa é pesquisa. Desqualificá-la é colocar fogo na cama em caso de adultério.

Petistas, apoiadores do lulopetismo e esquerdistas em geral estão tentando desqualificar as recentes pesquisas do Ibope e do DataFolha que mostram um certo estremecimento no prestígio da presidente Dilma Rousseff.

Usam a mesma estratégia dos anti-PT: quando as pesquisas referendam o que pensam, elas são boas e mostram a realidade, quando não, são manipuladas e “esquisitas” e “suspeitas”.

Besteira da pesada.

Pesquisa é pesquisa.

É da sua análise criteriosa que se tiram conclusões maduras e relevantes.

O resto é chororô, ou mimimi, como se costuma dizer nas redes sociais.

Aliás, as pesquisas recentes do Ibope e do DataFolha nem são tão ruins assim para a presidente Dilma Rousseff.

A queda da petista se dá no âmbito da classe média urbana (VAMOS LER A PORRA DA PESQUISA, CACETE!), mas o apoio ao PT está ancorado nas camadas sociais mais vulneráveis da sociedade.

No frigir dos ovos (ufa! Que coisa mais antiga!) a presidenta-petista terá o apoio da maioria da população, a menos que ocorra uma catástrofe espetacular no País que afete diretamente os três Ps: os Pretos, os Pobres e as Putas.

A propósito

A morte do ator (ator?!?!?!?) José Wilker está entulhando a web de um nhenhenhém miserável, condescendente e obsceno.

OK. É preciso respeitar a dor dos seus (do morto): parentes, amigos e companheiros de trabalho.

Mas dizer que Wilker foi um bom ator aí já é um bocado de exagero... é muito para o meu coraçãozinho quase falido.

Foi um canastrão da pior espécie e um provinciano pavoroso, que conseguiu, num programa de uma hora na TV Brasil, simplesmente não citar os “boleiros” de Ugo Giogetti - o programa estava discutindo a relação cinema-futebol no Brasil.

Patético!

Aliás, um de seus filmes de maior sucesso, “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, é uma grande bosta - tanto o filme quanto o romance de Jorge Amado, que no geral (os romances) são muitos ruins.

Vamos devagar aí, moçada.

Vamos ser ridículos, mas sem exageros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário