sexta-feira, 14 de março de 2014

O Brasil é um país muiiiiito sinistro (parte 2)




É sempre possível ampliar a nossa cota de maluquices e de insanidades. Afinal, nós somos brasileiros com muito orgulho, com muito amor.

Agora foi a vez da atriz e documentarista Lucélia Santos passar poucas e boas nas mãos dos insanos, estúpidos, esse tipo de gente que, no rigor dos fatos e das horas, sequer deveria estar aqui pela Terra.

Tudo porque a atriz e roteirista “foi flagrada dentro de um ônibus”: “Atriz Lucélia Santos desabafa após ser flagrada em ônibus lotado”.

“Ônibus 524 lotado. Me ofereço para segurar a bolsa da moça. Quando olho, é a atriz Lucélia Santos” – e a tempestade começou.

Não entrei no twitter da escrava Isaura para ler os kkkk, quéqué e cucucu. Não precisa e nem tenho mais estômago pra isso.

Lucélia reagiu com uma descompostura tuitiana:

"O Brasil é o único país que conheço em que andar de ônibus é politicamente incorreto".

“Isso porque os ônibus aqui e transportes coletivos, de um modo geral, são precários e ordinários, o que mostra total desrespeito à população! Em qualquer país civilizado, educado e organizado, é o contrário. As pessoas dão prioridade a transportes coletivos para proteger o meio ambiente. Os governos deveriam investir em transportes decentes para a população, com conforto e dignidade, e depois pretender fazer discursos de 1º mundo”.

“A imprensa deveria usar sua inteligência para divulgar campanhas para os transportes públicos coletivos de primeira grandeza“.

Infelizmente não adianta nada, minha cara escrava Isaura. São cafajestes, estúpidos, e, quer saber, grandissíssimos filhos da puta (de mães putas, que não conseguiram lhes dar educação).

Não vão ter nunca. Não tiveram em casa, não tiveram no berço, não vão ter nunca mais.

É esperar que uma nova geração mais civilizada apareça para suplantá-los.

Mas eu é que não vou esperar.

Mas como isto aqui é Brasil vejo no Facebook alguém postando que o Marco Civil da Internet é coisa da PTralhada, e se é da PTralhada vamos ser contra, bora pessoá.

São cafajestes, estúpidos, e, quer saber, grandíssimos filhos da puta (de mães putas, que não conseguiram lhes dar educação).

Não vão ter nunca. Não tiveram em casa, não tiveram no berço, não vão ter nunca mais.

É esperar que uma nova geração mais civilizada apareça para suplantá-los.

Mas eu é que não vou esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário