domingo, 2 de março de 2014

A roda da ignorância não deixa o Gigante do Futuro acordar


Crédito da foto: www.generalbrasil.com.br

150 milhões de brasileiros são analfabetos funcionais. Entre quem já concluiu a universidade ou ainda “está na faculdade” o número de analfabetos funcionais chega à inacreditável marca de 25%.

Tomando que temos 20 milhões de formados/formandos estamos nas mãos de 5 milhões de pessoas não plenamente alfabetizadas.


Analfabetismo funcional é a incapacidade que uma pessoa demonstra ao não compreender textos simples.

Não admira, portanto, o sucesso estrondoso que fazem/fizeram o axé music, o pancadão, o sertanejo universitário, também conhecidos como MIB (Música Imbecil Brasileira).

Não admira, portanto, que façam estrondoso sucesso o BBB, as novelas da Globo e os programas policialescos como o do Luiz Datena.

Não admira, portanto, que gente como Raquel Sherazade tenha fãs e defensores aos montes (aliás, todos aqueles que conheço e que a admiram têm curso universitário).

Não admira, portanto, que a população brasileira aceite, sem ressalva, o discurso unilateral da imprensa, de demonização diuturna dos programas sociais do governo e da desqualificação dia sim outro também das ONGs.

Talvez (já pensei nisso algumas vezes) sejamos nós, que nos descabelamos por um País melhor, mais justo, mais humano, mais civilizado, que devamos deixá-lo, ao invés dos coxinhas que sempre ameaçam debandar para “o primeiro mundo”.

Quem sabe com telós, reinaldos azevedos e sertanejos universitários a lhe servir de luz e de norte o brasileiro finalmente viva por aqui alegre e feliz.

Para não alongar mais a conversa vão abaixo três textos que merecem ser lidos (por quem, obviamente, é plenamente alfabetizado).

A nova música de “pegada”
"Existe esse cenário de balada em um país infantilizado como Brasil, um país que perdeu a profundidade. Agora é uma coisa rasa, é só festa.” (Guilherme Arantes).

MIB (Música Imbecil Brasileira): o sertanejo universitário na era da imbecilidade monossilábica
Um movimento circular, no qual aquele que nada tem a oferecer intelectualmente alimenta com sua arte quem já se encontra morrendo de inanição cerebral.

“Sonegação de impostos no Brasil supera orçamentos de Educação e Saúde”
Anualmente, empresas e milionários deixam de recolher cerca de 10% do PIB nacional em impostos e tributos e aumentam a carga sobre a renda da classe média e dos mais pobres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário