sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

"O que é Dom Casmurro?"



Dois utopistas norte-americanos - Henry David Thoreau e Burrhus Frederic Skinner – bagunçaram (ou deveriam ter bagunçado) a cabeça dos comportadinhos.

Dessa gente que teima em achar que o mundo não evoluiu ou não deveria evoluir.

Tomando-se aqui a evolução em seu sentido darwinista mesmo.

Thoreau escreveu Walden, um manifesto contra a sociedade industrial (hoje sociedade de consumo ou de massa).

Skinner, Walden Two, um libelo anticapitalista.

Ambos se fundamentam na capacidade do ser humano de gerir a própria vida comunitariamente, dispensando-se governos e estruturas opressivas como famílias nucleares, educação formal (quer dizer, escolas) igrejas, sindicatos, leis etc. e tal.

Uma breve pausa

Ainda me causa surpresa a hostilidade que boa parte das esquerdas do mundo, especialmente os esquerdistas latino-americanos, cultiva com relação aos norte-americanos.

Creio que haja uma confusão, fruto de um enorme desconhecimento, entre as políticas do Estado norte-americano e a gênese de seu povo (tirando-se fora desta segunda parte gente rançosa como os membros da Klu Kux Klan e do Tea Party).

Tanto a Klan quanto o Tea refutam a Declaração da Independência dos Estados Unidos da América (1776).

A título de informação e curiosidade: os EUA são um dos raros países do mundo onde é possível encontrar anarquistas (utopistas) de direita; gente que detesta e afronta o Estado, mas também odeia pessoas de outras raças (sic) e credos.

Não é pouca coisa.

Provavelmente o mundo levará milhares de anos tentando entender os norte-americanos.

BBB

Causou um certo alvoroço (mas não muito) nas redes sociais a pergunta que uma jovem de nome Tatiele fez (creio que ontem à noite), durante mais uma exibição do BBB (Rede Globo): "O que é Dom Casmurro?"

Não vejo motivos para escárnio no espanto de Tatiele.

Muito pelo contrário.

Talvez sua perplexidade seja mais profunda que queremos aceitar que seja.

Ao comentar no portal UOL a suposta ignorância de Tatiele um sujeito disse que não via nada de mais na sua pergunta, pois ele também não sabia o que vinha a ser Dom Casmurro, que nunca tinha lido um livro (ele falou romance) na vida, que não sentia falta deles porque assistia TV e novelas, e que um romance não ajuda ninguém a chegar a lugar algum.

Tatiele e o comentador talvez estejam nos dizendo que estamos já em plena era de Walden, o three, numa inversão revolucionária que nem Thoreau, nem Skinner foram capazes de imaginar.

Um Walden 3 cosmopolita, internacionalista, global; um mundo revolucionado e utópico, conectado em rede (por mais paradoxal que isso possa parecer. Mas as revoluções e as utopias não são em si paradoxos?) em que se dispensam as famílias nucleares, a educação formal (quer dizer, escolas), as igrejas, os sindicatos, as leis, os livros, a história e o conhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário