quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Um chinês já assustou você hoje ?


Crédito da foto: www.sacralidade.com

A revista Science entrou de cabeça na demonização da China.

A ciência e a tecnologia são e sempre foram os principais campos de batalha ideológico.

O restante é perfumaria.

De acordo com a prestigiada e prestigiosa publicação, a China se transformou em importante “mercado ilegal de autorias e trabalhos científicos”.

O vertiginoso crescimento chinês, especialmente no campo de C&T (ciência e tecnologia), incomoda bastante o Ocidente, especialmente os EUA que detém muito mais que a metade das patentes “tecnológicas” mundiais.

Como  O Estado de São Paulo reproduziu na edição de hoje, cordeiramente, a informação eu escrevi para o jornal dos Mesquitas perguntando se esse tipo de “indústria de teses e artigos” é exclusividade chinesa.

Obviamente que o jornalão não respondeu. E nem tem como responder sob pena de ver desmoralizado o que acabou de escrever tão candidamente.

URSS

Há quem garanta que a antiga União das Repúblicas Soviéticas (URSS) ruiu por não suportar a corrida tecnológica contra os EUA (especialmente a armamentista e a espacial).

Tenho reparos à tese.

Acho que a URSS foi corroída pelo medo brutal que os comunistas têm do mercado.

Sem um mercado interno forte, que vende badulaques inúteis para uma população anestesiada pela publicidade, como arrumar dinheiro para sustentar o Sistema?

Não tem jeito. E é esse jeito que gente como o Lula da Silva tenta dar por aqui.

Japão

Os mais velhinhos (mas não tão velhinhos assim) devem se lembrar de que há 30 anos (mais ou menos) o demônio da vez era o Japão “que pirateava as patentes produzidas pelos bravos cientistas ocidentais”.

Alguém ouve falar disso hoje em dia?

NÃO!

O Japão é amiguinho. Não oferece perigo de desestabilizar o Sistema Capitalista (muito pelo contrário) e joga toneladas de iene na economia ocidental.

Só quem não gosta de japonês no Ocidente são os trabalhadores negros norte-americanos que viram os seus empregos irem para o ralo com a concorrência japonesa (carros e badulaques eletrônicos) no seu próprio País.

Os negros são a base do precariado norte-americano.

Dose dupla

A China é um perigo em dose dupla para o Ocidente capitalista.

Tem uma administração centralizada e planificada – esse papo de democracia não funciona por lá. Quer dizer: nunca funcionou.

Imagine se a moda pega e se espalha para o mundo todo.

A China nunca foi refém do Ocidente – como ainda é o Japão.

Tem uma visão mais ampla e aberta da geopolítica (mundial).

Neste momento, investe maciçamente na África e na América Latina (que sempre foram tratadas como um grande lixão pelos países capitalistas – EUA e Europa Ocidental – e exportadores de mão de obra barata).

Com gente aos montes (quase 2 bilhões), um mercado crescente (já é o segundo do mundo), com domínio da tecnologia (já está passando os EUA na produção de conhecimento) alguém vai encarar os chineses?

Nenhum comentário:

Postar um comentário