sábado, 28 de dezembro de 2013

Os índios são invisíveis, feios, sujos e malvados


Crédito: Sede da Funai incendiada em Humaitá (AM) – Foto Folhapress

Não é difícil entender o que está acontecendo em Humaitá, no interior do Estado do Amazonas.

As pessoas estão atacando os indígenas da região. As pessoas fazem isso desde 1500, então por que seria diferente em 2013?

Os índios não existem. Ou melhor, existem 800 e poucos mil indígenas, mas eles vivem ou em aldeias, pelados e sem produzir nada, ou andam perambulando por aí, com roupa, bêbados, se prostituindo e sem produzir nada.

Invisibilidade

Você certamente não conhece nenhum índio. Nunca viu um. Só ouviu falar.

Pudera... eles são invisíveis!

Você já ouviu falar de filhos de índios? De índio-descendentes?

Não tem. Além dos 800 e poucos mil indígenas que vivem por aí, não existem filhos de índios, netos de índios, bisnetos de índios.

Quem atesta isso é o IBGE (e também o IPEA).

Você já ouviu falar de negros, de brancos e de pardos (os moreninhos), estes todos afrodescendentes, não ouviu?

Mas de nenhum índio-descendente.

Curioso, não?

Morenice

Sabe essa morenice brasileira do cabelo escorrido e preto, da cara ovalada, dos olhos amendoados ligeiramente repuxados?

Como o IBGE e o IPEA não sabem de onde tudo isso vem, eles colocam tudo na conta da Mama África.

Afinal os índios não existem, são invisíveis, sequer têm filhos, netos e bisnetos.

Apenas vivem por aí; vagabundando por aí.

Curioso, não?

Estorvo

Recentemente conversei com um político da região.

Ele não gosta de índio.

Não gosta da Funai.

Não gosta das ONGs indigenistas.

“Eu não tenho nada contra os índios. Mas eles atrapalham pra danar”, me disse.

Foi também o que disseram a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) e a Faea (Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas).

Eles estão preocupados com “o paradeiro dos três homens na reserva indígena em Humaitá”, pedem "providências urgentes", "mudanças imediatas na condução da política indigenista" e dizem que existem "fortes suspeitas de que os índios teriam atentado contra a vida de três pessoas”.

E?????

Elas, as instituições, os políticos, o povo de Humaitá só não explicam o que os três – um funcionário da Eletrobrás, um representante comercial e um professor – estavam fazendo numa reserva indígena.

Não é uma reserva?

Se é uma reserva está reservada a alguma coisa ou a alguém.

E seria para passeios de funcionários da Eletrobrás, de representantes comerciais e de professores?

Tenho cá minhas dúvidas.

Mas quem liga pra isso?

Os índios não existem, e ainda são feios, sujos e malvados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário