sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

De Jesus Cristo às doenças: a insanidade não tem mais limites




Crédito da ilustração: BBC

Comecemos pelas doenças.

Voltou a circular com toda força nas redes sociais a história de um médico italiano que teria identificado a origem do câncer e, consequentemente, a sua cura.

Picaretagem da pesada.

Só por curiosidade, nada mais que por curiosidade, fui dar uma assuntada na tal da “internet” atrás de referências e encontrei mais de 350 mil re-postagens da (suposta) informação.

É isso mesmo: 350 mil re-postagens e não curtidas no Facebook.

Isso quer dizer que a (suposta) informação foi postada em blogs e sítios milhares de vezes como se fosse “verdade”. E isso só no Brasil!

O que leva pessoas a acreditarem numa asnice desse tamanho?

Fácil descobrir. Fiz uma rápida amostragem dos re-postadores: homens e mulheres na faixa dos 30 aos 50 anos, gente que tem escolaridade precária e um pouco de habilidade para ter um blog ou um sítio na internet.

Gado fácil, pacífico e ordeiro para esse tipo de desinformação.

Gente cuja maior façanha é ir passear no shopping center no final de semana.

Negritude

A semana começou com tudo e especialmente com a grita de parte do movimento negro pelo não convite à secretária de políticas de promoção da igualdade racial, Luiza Bairros, para o enterro de Nelson Mandela.

Bairros não foi convidada por Dilma? Foi!

Bairros não foi à África do Sul? Foi!

Então qual é a razão da grita?

Bairros não aparece na foto oficial onde estão Dilma e os quatro ex-presidentes (ainda vivos) – os dois Fernandos, Sarney e Lula.

Barrios é ou foi presidente de alguma coisa?

Não!

Então por que deveria estar na foto?

Não deveria, mas mesmo assim parte do movimento negro viu racismo na sua ausência.

Jesus!

A discussão da hora nos EUA (e que naturalmente está entrando com tudo por esta terra brasilis) diz respeito à cor da pele de Jesus Cristo.

A jornalista Megyn Kelly, âncora da Fox, está meio que p da vida com essa história de que nem Papai Noel, nem Jesus Cristo eram brancos.

Bem, a brava Kelly está com dois problemas: Papai Noel existiu ou existe? Idem (só a primeira parte) para Jesus Cristo?

A história da cor da pele de Cristo tem antecedentes: o estudioso do Novo Testamento Mark Goodacre garante que Jesus tinha a pele escura e seu cabelo era curto e “encaracolado” (veja a ilustração acima).

Bem, não é exatamente uma novidade sendo, como deve ter sido Jesus, um judeu do Oriente Médio, nascido há mais de 2 mil anos.

Branco de olho azul certamente ele não era.

Então... quem pintou Jesus Cristo de branco e ainda lhe tascou uma lente de contato azul nos olhos?

Provavelmente Leonardo da Vinci e Michelangelo, que além de o fazerem branco e de olho azul, ainda lhe deram um corpo esguio e atlético.

Há tanta chance de Jesus Cristo ter sido esguio e atlético quanto eu de vencer a prova dos 100 metros rasos na Olimpíada do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário