sexta-feira, 20 de setembro de 2013

MENSALÃO: Por que a mídia conservadora está perdendo mais uma?



Alguns pontos devem ser postos ou repostos aqui.

O afalaire gosta de usar as expressões “jornalismo mercantil” ou “mídia mercantil” e por um motivo muito simples: os empresários do setor tratam do seu metiê primeiro como um negócio, para depois tratá-lo como jornalismo e informação.

OK! Estamos no século 21 e num regime Capitalista: mas isso não justifica relativizar a informação em favor do balanço de final de ano.

Embora alguns parcos do grupo de parcos leitores deste afalaire venham com as velhas acusações de petismo, esquerdismo, cubanismo e outros sensos comuns, cumpre relembrar o que já se disse por aqui por diversas vezes sobre o “Mensalão do PT”:

- o que o Partido dos Trabalhadores fez – pagar despesas de campanha de outros partidos – é irregular, é anti-republicano, é crime eleitoral, é inadmissível e inaceitável;

- pagar despesas de campanhas de outros partidos para cabalar votos no Congresso Nacional para matérias de interesse do governo federal se configura claramente com um ato de corrupção.

Apenas essas duas coisas já justificam sim o oferecimento de denúncia por parte da Procuradoria Geral da República e o julgamento do STF, como se vê há mais de um ano, e como se verá no próximo ano e mais alguma coisa.

Os erros da PGR e do STF

As outras questões, circundantes ou internas ao processo, porém, ocasionaram esse imbróglio todo, como por exemplo:

- crime de formação de quadrilha;
- dinheiro público;
- domínio de fato;
- crime continuado, entre outros.

Os incríveis erros da PGR, ao incluir na peça acusatória gente que não participou do crime, como Luiz Gushiken, ou em atos pontuais onde não esteve e não podia estar, como Henrique Pizzolato, deveriam ter ligado o sinal de alerta da imprensa.

Deveriam, mas não ligaram.

A única explicação lógica para esse “descuido” dos meios de comunicação conservadores é que se buscava um linchamento moral dos acusados, como defendem que seja assim alguns jornalistas da própria imprensa conservadora e toda blogosfera de esquerda.

O erro da mídia conservadora

A despeito de todas as sinalizações indicando que estamos vivendo um novo tempo, muito por conta dos meios eletrônicos de comunicação (internet, para resumir a história), por alguma razão a mídia conservadora entendeu que ainda “dava as cartas” sozinha junto à opinião pública.

Até deu, é verdade, mas especialmente junto a quem já estava pré-disposta a aceitá-las (as cartas) ou junto a quem, ingenuamente (por desinformação, falta de tempo ou qualquer outra razão), as aceitou até com boas intenções.

O andar da carruagem do julgamento indicava outro caminho que não aquele previsto pela imprensa conservadora, a saber: julgamento, condenação e cadeia para os acusados.

O que está se vendo, neste momento, é exatamente isso.

Nem tudo são flores no jardinzinho da mídia e dos partidos conservadores

Arrogância patética e inútil

Da indignação pelo voto do ministro Celso de Melo, acatando os embargos infringentes esta semana, a mídia voltou ao ataque, não satisfeita pelo revés que sofreu até agora:

- continua apostando na “indignação do povo” – indignação e povo que ele mesmo está construindo, e
- envolvendo em sua marcha punitiva e tresloucada pessoas que não deveriam manchar os seus respectivos currículos (veja foto acima) como estão manchando.

Observação: todas as atrizes acima são funcionárias da rede Globo de TV.

Nem a queima de carros de reportagem, nem a hostilização e expulsão de jornalistas das manifestações, nem os ataques à laser a redações de telejornais, nem a deposição de fezes humanas em frente a prédios de jornais, revistas, TV são capazes de acordar os donos dos veículos de comunicação e fazê-los perceber o que de fato está acontecendo nas ruas, nas periferias, nos mocambos, nas favelas, nos cortiços.

As mídias conservadoras ainda jogam numa futura, imaginária e hipotética reversão da expectativa; ainda acreditam que irão convencer a maioria dos brasileiros de que os mensaleiros são perigosos criminosos que devem mofar por décadas na cadeia.

Vão perder mais essa.

Pior que isso: são derrotas irreversíveis.

Não dá mais para sair desse buraco ideológico.

A mídia conservadora não fala mais sozinha, não dita mais as (suas) regras para a sociedade brasileira.

O País está dando mais um passo dentro de seu caminhar democrático.

Aleluia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário