terça-feira, 3 de setembro de 2013

Aécio vai ao Nordeste para enfrentar as sete pragas do Egito



Ninguém duvida que o senador tucano por Minas Gerais, Aécio Neves, é candidato à presidência da República ano que vem.

Nem ele mesmo, tanto assim que já está em campanha, embora isso não seja (oficialmente) permitido pelo TSE.

Aécio começa pelo calcanhar de Aquiles dos tucanos: pelo Nordeste.

O político mineiro está assuntando, mapeando suas possibilidade, numa região que, a rigor, é quase toda petista.

O Nordeste tem mais eleitores que o Norte, o Centro- Oeste e o Sul.

E menos que o Sudeste, onde o PSDB sempre leva certa vantagem sobre o PT, mas não muito.

Perder no Nordeste quer dizer não vencer a eleição.

A menos que os votos do Sudeste compensem totalmente a perda.

Daí é de se ver como votam os eleitores do Norte, Centro-Oeste e Sul.

Mas a briga mesmo é entre o Nordeste e o Sudeste.

Quem vence nas duas regiões, vence a eleição em primeiro turno.

Nuvens e mais nuvens

Diriam os racistas que pairam nuvens negras sobre a cabeça de Aécio Neves.

Por que as nuvens não são brancas ou cinzas ou cor de chumbo?

Racismo à parte, o senador tucano-mineiro tem alguns problemões pela frente,  que para ele são como as “pragas do Egito” de que fala a Bíblia :

Primeiro problema - Partido dos Trabalhadores;

Segundo problema – Lula da Silva;

Terceiro problema – Dilma Rousseff;

Quarto problema – Máquina administrativa do Estado;

Quinto problema – Movimentos Sociais;

Sexto problema – Digamos assim, problemas olfativos, gustativos e outras quinquilharias.

A sétima praga

José Serra, que não é besta nem nada, está de malas prontas para o PPS.

OK, o PPS é coligado ao PSBD.

Mas se for para o ”eterno candidato tucano” apoiar Aécio entrando para outro partido, por que não permanecer no PSDB?

Eis o sétimo problema.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário