quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A transparência no governo Dilma Rousseff


Crédito da foto: www1.folha.uol.com.br

A presidente Dilma Rousseff é um ser retilíneo, cartesiano, desenvolvimentista e evolucionista.

Para ela 2 + 2 é igual a 4, e a raiz quadrada de 9 é 3 – e não se admite contraditórios.

O oposto de seu mentor e antecessor, Lula da Silva, chegado a encontros & despedidas; a conversas ao pé do ouvido, escapadelas e acordos de bastidores.

O jeitão Dilma de ser lhe rende ironias e decepções. Diz-se que a presidente não tem “jogo de cintura” para a política.

Não consta que a presidente seja uma dançarina de pole dance ou um ponta esquerda driblador.

Não consta que exista uma fórmula padrão de se fazer política.

Cada um leva sua canoa com seu remo e suas remadas.

Vozes da rua

Vi ontem à noite uma postagem no Facebook acusando Dilma Rousseff de mentirosa, após ela ter afirmado, na ONU, que ouviu as “vozes das ruas”.

A rigor ela disse a mesma coisa aqui mesmo no Brasil antes de ir para Nova York.

O que pessoas como essa – que acusam Dilma Rousseff de mentirosa – querem dizer é que a presidente fez ouvido mouco, de mercador às milhares de reivindicações que espocaram em junho pelas ruas do País.

Fez sim, mas essas eram “as vozes das ruas”?

Gente que protestava contra a ANTT, a ANTF, a compra de sutiã cor-de-rosa e outras sutilezas do gênero?

Ao que consta, a presidente passou a receber e a ouvir índios, pretos, putas, sem-terra, a periferia etc. etc. e tal.

Que vozes das ruas mais contundentes que essas?

Feios e sujos

As maiores e as mais contundentes críticas que a presidente recebeu até agora em seu governo ficam por conta de seu descaso para com as reivindicações da chamada população vulnerável – vide o caso de Belo Monte.

Por exemplo: antes dos protestos de junho – isso com respeito ao governo Dilma – nenhum índio até então havia posto os pés no Palácio do Planalto.

Agora puseram; puseram porque foi um grupo razoavelmente grande recebido pela presidente.

É de se discutir se esse "recebimento” vai mudar alguma coisa na vida da indiarada brasileira.

Mas que ela recebeu, recebeu; que ela ouviu, ouviu.

Meu mundo e nada mais

Mas é fácil saber do que essa gente está reclamando e porque está acusando a presidente de mentirosa: eles queriam – como sempre acontece – ver os seus anseios individuais, classistas e corporativos resolvidos por Dilma.

E as outras reivindicações – daquele enorme grupo composto pelos feios, sujos e malvados – ah... essas que se lixem.

Transparência opaca

É bastante ilustrativo que as pessoas que fazem essas críticas à presidente sejam às mesmas que pedem “transparência” ao governo, para que “a opinião pública” possa estar “plenamente informada” dos passos dos políticos.

Quer uma transparência mais transparente que essa, quando um político – no caso, a presidente – define o seu rumo e os seus passos, diz claramente o que quer, o que pensa, o que faz ou vai fazer?

Ou, para essa gente, como se disse acima, transparência é apenas ver os seus anseios individuais, classistas e corporativos resolvidos pelo governo?

OUTRAS LEITURAS

Secretismo e contradições a serviço do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário