sexta-feira, 6 de setembro de 2013

A indigência juvenil ataca Caetano Veloso



Crédito da foto: Vírgula/UOL

O ruptura de Caetano Veloso com as esquerdas brasileiras tem muitas marcas, uma delas foi a composição de “Odara” (http://letras.mus.br/caetano-veloso/44759/) - 1978:

“Deixa eu dançar pro meu corpo ficar odara / Minha cara minha cuca ficar odara / Deixa eu cantar que é pro mundo ficar odara / Pra ficar tudo jóia rara / Qualquer coisa que se sonhara / Canto e danço que dará”

A esquerda nunca perdoou Caetano pela ode narcisista.

Odara é uma palavra que vem da cultura hindu, significa paz e tranquilidade, é usada livremente no candomblé e na umbanda, e entre outras coisas é sinônimo de exu.

Há que se reconhecer que Caetano Veloso, vez ou outra, exagera em caras e bocas, mas isso é um problema (se é problema) dele. Ninguém tem nada a ver com isso.

Ontem, CV recebeu a moçada do Fora do Eixo e do Mídia Ninja, vestiu-se de black bloc, deixou-se fotografar assim e criticou a proibição do uso de máscaras pelo governo do Estado do Rio de Janeiro durante manifestações de rua.

Acrescente-se para além da atitude e da fala de Caetano que não há lei que respalde a proibição de máscaras ou qualquer outro apetrecho pessoal.

Fosse de outro jeito,  o governo poderia proibir o uso de óculos (eu uso óculos) nas ruas, ou o véu das católicas nas igrejas e procissões.

A proibição é ilegal e inconstitucional.

Reação coxinha

Como se pode ver por alguns exemplos abaixo, as reações (nas redes sociais) à postura e à fala caetanistas não tardaram:

Grande coisa... pra quem não acrescenta em nada a vida da população... só pra aparecer mesmo na mídia.

Pergunte aos jovens, quem é Caetano Veloso. Eles vão responder que um velho, que faz qualquer coisa para aparecer na mídia, mas que na realidade deveria estar no asilo.

infelizmente, esse otário metido a malandro, quando nao etm nada para fazer gosta de aparecer. Vai procurar um marido.

Quem é ele????????

Sem identificar quem é quem, há que se notar que os comentadores são jovens. Ou seria melhor jóvis?

São obreiros do passado, gente conservadora e reacionária.

Gente que nunca teve de lutar pela própria liberdade. Apenas usufrui daquilo que outras gerações conquistaram com suor, lágrimas, sangue e mortes.

Nunca consegui – no “meu tempo” ou agora – aceitar silenciosamente a máxima de que o germe da revolta está na juventude.

Muito pelo contrário: acho (sempre achei, mesmo quando jovem) a juventude o momento mais careta e conservador na nossa rala existência.

 

E sempre uso e repito a saborosa frase da escritora britânica Agatha Christie:

“A única virtude da juventude é que ela passa logo.”

Preconceito

OK! Não seja tão preconceituoso e ranzinza assim, Márcio Tadeu. Há jovens e jovens.

Pois bem, recolocando a questão: esses são jovens ignorantes, gente que gosta de música brega, de filme de ação, que nunca leu um livro na vida, e que gosta de assistir TV, navegar pela internet e passear em shopping center.

Infelizmente é a maioria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário