terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Globo sente o golpe e ataca os Ninja



O jornal O Globo (RJ) resolveu atacar o coletivo Mídia Ninja (“Ninjas querem verba oficial para sobreviver” - http://oglobo.globo.com/pais/ninjas-querem-verba-oficial-para-sobreviver-9343258).

Antes de qualquer outra coisa o ataque quer dizer que o Mídia Ninja está incomodando e fazendo, ao seu modo, aquilo que todo cidadão espera que os meios de comunicação façam, mas quase sempre não fazem: jornalismo.

As acusações de “chapa-branca”, de quererem dinheiro do governo para sobreviver (justamente as organizações Globo fazendo esse tipo de acusação!?), de que são engajados (quer dizer, de esquerda e pró-governo do PT) são elementarmente patéticas.

Vá lá que o material produzido pelos ninjas não seja exatamente de boa qualidade. Mas e daí? Qual é o crime ou o pecado na história?

A resposta que o coletivo deu ontem ao material de O Globo (e que foi publicado em alguns blogs) também é ruim e inconsistente. Mas e daí? Qual é o crime ou o pecado na história?

Dois representantes dos ninjas estiveram ontem no Roda Viva (TV Cultura/SP).

Não assisti ao programa, e estou me fiando no que escreveu a Folha de São Paulo, hoje (“Idealizadores do grupo Mídia Ninja negam vinculação partidária” - http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/122616-idealizadores-do-grupo-midia-ninja-negam-vinculacao-partidaria.shtml).

Se o jornal paulista não está mentindo muito e/ou sendo minimalista demais, as respostas dos ninjas, Pablo Capilé e Bruno Torturra, também não primam pela profundidade ou por argumentos bem construídos. Mas e daí? Qual é o crime ou o pecado na história?

Pêndulo de Foucault

O Mídia Ninja, assim como o MPL – Movimento Passe Livre, e até as Mães de Maio, entraram na alça de mira dos conservadores brasileiros (de esquerda e de direita).

Isso quer dizer que estão sendo criminalizados, assim como são criminalizados todos os movimentos sociais brasileiros desde a época do primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso.

Dessa FHC não pode escapar.

O interessante nessa história toda é que os três coletivos ora são de esquerda, querem acabar com o capitalismo e favorecer os partidos de esquerda, especialmente o PT (não dá para entender como fariam essa conciliação), ora são de direita que jogam no quanto pior melhor para desestabilizar o governo de Dilma Rousseff, preparar o terreno para a volta dos “conservadores” (sic) ao poder, e de serem inocentes úteis que defendem a democracia direta.

Como se vê Ninjas, MPL e Mães de Maio estão incomodando um bocado.

O que é muito bom. Aliás, é ótimo.

O que quer dizer, também, que sequestraram a pauta difusa dos “coxinhas” de junho e partem para um confronto mais aberto com o poder e seus constantes abusos.

O que é pra lá de muito bom. Aliás, é pra lá de muito ótimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário